Prisma - Pós Harry Potter RPG
Conecte-se ao fórum com um nome de usuário e senha para ter acesso aos demais links e categorias.

Caso não possua um registro, clique em Registrar-se.

Não se esqueça de ler as regras e a trama do jogo.

Equipe Prisma.



 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

NOVO RPG DE HARRY POTTER - PORTUS RPG

ENTRE http://z10.invisionfree.com/portus/


Compartilhe | 
 

 Residência HOEW

Ir em baixo 
AutorMensagem
Gustave H. Hoew
Grifinória - 7º Ano
Grifinória - 7º Ano
avatar

Número de Mensagens : 809
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 4
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 3
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
20 / 10020 / 100

Pontos : 4272
Data de inscrição : 03/06/2009

MensagemAssunto: Residência HOEW   Qui Ago 13, 2009 3:10 pm


    .House hoew's

    A virar à esquerda, numa das avenidas principais de Londres, você se depara com uma bela residência que em pouco – arrisco dizer que em nada – se difere das residências luxuosas londrinas, ao menos na parte exterior. Um belo jardim se faz presente na entrada, recebendo os visitantes com o perfume suave e doce das tulipas e rosas que ali nascem todas as primaveras. Algumas árvores frondosas encontram-se dispostas sobre a grama perfeitamente aparada e bem cuidada pelos empregados. Durante os meses frios, o local se enche de neve, dando um tom mais calmo e sutil ao local. Nesses meses, um caminho de pedras azuladas liga o exterior ao interior da mansão, fazendo um suave contraste entre a neve e as pedras.

    Para entrar na residência, é preciso entrar por uma porta de madeira holandesa que tem espessura aproximada de 15 cm. No entanto, ao abrir-se a porta, ela não demonstra seu peso ao usuário, causando curiosidade a alguns visitantes. Ela é adornada com um brasão entalhado na própria madeira, o brasão da família Hoew. Este mesmo brasão encontra-se na entrada da residência em Nova York, e se repete em todas as residências Hoew espalhadas pelo mundo.

    Ao atravessar a porta principal, encontra-se um corredor largo e amplo, praticamente uma sala, mas recebe o nome de corredor apenas por conveniência arquitetônica. Lá os convidados ou moradores podem deixar seus casacos, chapéus, enfim, ficar mais a vontade. O local é climatizado e possui uma decoração inovadora, que contrasta com o conservadorismo do lado oposto. De um lado, imagens, pinturas e itens modernos enquanto do outro, fotografias, pinturas e artefatos antigos. O corredor possui passagem para a Sala de Estar, Cozinha, Sala de Jantar, Sala de Jogos e Sala Comum, além de um lance de escadas que levam ao primeiro andar.

    A Sala de Jantar dispõe de quatro grandes sofás que formam um semi-circulo envolta de uma mesa de vidro baixa e espaçosa. No foco oposto, encontra-se uma lareira raramente utilizada que possui uma pequena abertura onde se encontra o pó de flu. Atrás do semi-circulo, a aproximadamente 3 metros, encontra-se uma mesa de mármore cinza, com 12 lugares. Na área onde se encontra a mesa, a iluminação é diferenciada, já que algumas vezes ela é utilizada para reuniões extra-familiares. As paredes seguem o padrão de todo o local, tons pastel, bege e palha.

    A Sala de Jantar possui uma mesa nos mesmos padrões que a Sala de Estar, só que esta dispõe de 20 lugares e tem formato de um quadrado. No centro de cada lado, encontram-se cadeiras que se diferenciam das outras demais, feitas em madeira clara, e adornadas em prata enegrecida, o que as dá um ar rústico. As demais cadeiras são feitas em madeira escura e com adornos entalhados na própria madeira. Possui grandes janelas que permite que a iluminação durante o dia seja natural, e durante a noite, grandes lustres de cristal se acendem proporcionando uma iluminação similar à luz do dia. Quadros dos ancestrais são dispostos nas paredes, e nos “vértices” encontram-se pequenas estátuas de aproximadamente 50 cm, em forma de dragões.

    A Cozinha é equipada com tecnologia trouxa e artefatos bruxos, que contrastam nas prateleiras de mármore cinza. Um grande balcão divida o local em dois, com tampo de mármore seguindo os padrões das prateleiras. De um lado, o local onde a comida é preparada e do outro, o local onde são guardados os as louças e prataria. O local sempre está impecavelmente limpo, pois conta com o zelo de duas elfas responsáveis por ele. Que “desaparecem” sempre que trouxas se aproximam a menos de 20 metros do local.

    A Sala de Jogos possui vários tipos de jogos, separados setorizadamente. Do lado esquerdo superior, os jogos de tabuleiro – incluindo xadrez de bruxo. Do lado esquerdo inferior, os jogos de mesa. No lado direito inferior e superior, jogos eletrônicos, desde pinball até um Playstation 3. A iluminação também varia de acordo com a necessidade dela, nos setores. Sendo mais eficiente nos jogos de tabuleiro.

    A Sala Comum, como foi denominada no projeto inicial da casa, é um local reservado onde apenas os moradores têm acesso. Encontra-se no final do corredor de entrada. Possui uma estante em madeira clara, no lado oposto a porta. Três sofás negros estão dispostos em forma de “C” próximos a estante. Nela está uma televisão de plasma 42”, aparelhos de DVD, Home Teather e som. Algumas poltronas são dispostas aleatoriamente no local, deixando um ar mais despojado. Do lado esquerdo, existe um bar onde vários tipos de bebidas ficam ao alcance dos mais velhos. Uma Janela idêntica às da Sala de Jantar, deixa a iluminação do local aconchegante.

    O lance de escadas que liga o térreo ao primeiro andar é feito em mármore negro, com degraus largos e um corrimão em prata escurecida. Depois que as luzes se apagam, os degraus revelam uma peculiaridade: “transformam-se” num céu lindo, limpo e estrelado. A cada três degraus, existe uma janela com uma decoração similar às de Hogwarts. No entanto, no lugar de sereianos ou seres mágicos, símbolos de herança familiar. Com o toque suave e a pronuncia correta de algumas palavras, as janelas se tornam transparentes, permitindo ver o exterior.

    No primeiro andar, um corredor longo dá passagem para o Escritório, Quartos de Hóspedes e um outro corredor perpendicular ao anterior. No escritório, poucos têm permissão de entrar e aqueles que entram não o fazem por vontade própria e sim por intimação. O local não possui janelas e as paredes têm um tom escuro que não é clareado pela pouca iluminação. Do lado oposto a porta, encontra-se uma mesa em madeira negra, com alguns objetos. Dos lados encontram-se estantes abarrotadas de livros, documentos, e artefatos antigos.

    Os Quartos de Hóspedes são espaçosos e claros, eles possuem uma janela que pode ser tapada pelas cortinas cinza, uma cama de casal, banheiro privado e local para acomodar roupas e objetos pessoais.

    O outro corredor dá acesso aos quartos dos moradores, entre os espaços de uma porta e outra, encontram-se quadros-vivos. Também existem quatro mesinhas ao longo do corredor, sobre as quais, vasos de porcelana estão dispostos. Neles, dragões estão pintados e em certos momentos se movem. Alguns dizem sentir o calor das chamas lançadas pelos dragões dos vasos. Os quartos são decorados de acordo com o gosto do seu respectivo dono. Seguindo apenas o padrão de tamanho para todos.



Última edição por Gustave H. Hoew em Qui Ago 13, 2009 3:23 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Gustave H. Hoew
Grifinória - 7º Ano
Grifinória - 7º Ano
avatar

Número de Mensagens : 809
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 4
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 3
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
20 / 10020 / 100

Pontos : 4272
Data de inscrição : 03/06/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Qui Ago 13, 2009 3:19 pm

Spoiler:
 


Style Hoew to spend the afternoon. Part 1


Narração; Gustave.
    A Sala Comum, como foi denominada no projeto inicial da casa, é um local reservado onde apenas os moradores têm acesso. Encontra-se no final do corredor de entrada. Possui uma estante em madeira clara, no lado oposto a porta. Três sofás negros estão dispostos em forma de “C” próximos a estante. Nela está uma televisão de plasma 42”, aparelhos de DVD, Home Teather e som. Algumas poltronas são dispostas aleatoriamente no local, deixando um ar mais despojado. Do lado esquerdo, existe um bar onde vários tipos de bebidas ficam ao alcance dos mais velhos. Uma Janela idêntica às da Sala de Jantar, deixa a iluminação do local aconchegante.

    Depois do ultimo jogo, Thomas ficou mais fanático que eu. Acredite isso não era fácil. Mas ele estava conseguindo e eu mesmo assim gostava de passar horas conversando com ela sobre quadribol. Sei lá, coisa de família: quadribol e horas perdidas discutido sobre ele. E eu e Thom somos ótimos exemplares de torcedores. Basta tocar no assunto com nós dois próximos, e nossos olhares logo se encontram. Às vezes eu penso que ele é legilimente, sabe exatamente que aquele é o “sinal verde” para o início do debate.

    Nesta tarde de Novembro, depois que descobrimos que não poderíamos ir ao evento na Sophos, eu e ele começamos a por o papo “quadribolistico” em dia. O encontrei quando saí do meu quarto – o dele era exatamente na frente. - Ei, Thom! Vai fazer o que essa tarde? – perguntei ao vê-lo abrindo a porta. Mas que pergunta idiota, claro que ele ficaria em casa. Já que não poderíamos sair, para onde ele iria? Ainda bem que ninguém sabe onde eu estava ontem à noite, se não... eu teria de fazer uma outra visita ao “Escritório”.

    Descemos as escadas e fomos conversando até que chegamos a Sala de TV. Me joguei em um dos sofás, coloquei as mãos atrás da nuca e a conversa continuou. Sério, eu não imagino o motivo das meninas não agüentarem conversar sobre quadribol com a gente. Claro, elas gostam de quadribol e tal, mas elas sempre saem no meio da conversa, justamente quanto às coisas estão ficando boas. Vai se entender as garotas.

    - É claro que ela teria apanhado aquela bola se ele não tivesse quebrado as costelas dela. – me levantei ficando sentado no sofá. Nossas vozes já estavam meio alteradas, quem não nos conhece certamente acharia que estávamos brigando. Ócios do ofício, não dá pra se falar de esportes, competição ou coisas do tipo, sem se levantar um pouco a voz, não é mesmo?

    Alguns instantes depois, Alex e Alice entram na sala, elas pareciam não ter percebido que nós estávamos ali. C-o-m-o(?) eu não sei. Alice me olhou com uma cara de: Não, não vou dividir. E Alex com cara de: Você não deveria estar aqui, Henry. Eu apenas ri para elas e troquei alguns olhares com Thomas antes de falar. - Ataque a dispensa garotas? – sorri deitando novamente no sofá. - Vão ter de dividir o chocolate e o sorvete comigo. O café pode deixar pro Thom. – sorri vendo a cara de reprovação de Alex.

    O dia estava frio e pouco adiantava a iluminação que vinha da janela do local. Afinal, já era meio da tarde, e uma fina camada de gelo se formara lá fora.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alex Hoew
Grifinória - 6º Ano
Grifinória - 6º Ano
avatar

Número de Mensagens : 37
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 4
Força : 1
Reflexo : 3
Mira : 3
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3497
Data de inscrição : 01/06/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Qui Ago 13, 2009 9:03 pm

Dez de Novembro de Dois Mil e Vinte e Nove
Sábado, Tarde, Residência dos Hoew.

Anterior: Estação de King's Cross; Chegada do Expresso de Hogwarts.
Próximo: Não faço ideia. $:

Alex ; Narração ;


candy'sparty



Haviamos partido de Hoggy fazia quase dez dias. Os acontecimentos haviam me marcado, mas não o suficiente para passar meus dias pensando nisso.
Os dias na mansão eram todos bastante interessantes e divertidos para que o que acontecera em Hoggy ficasse perdido em qualquer recanto da minha mente.
Porém, o dia de hoje não poderia ser integrado na categoria 'interessante'. Não podiamos sair para ir no Evento da Sophos e eu estava tão aborrecida quanto alguém como eu poderia estar.
Deitada de costas na minha cama, Ali sentada do meu lado, encarava o tecto de cal branca.
Provavelmente os meninos estavam falando de Quadribol, em algum lugar da Mansão. Agora que Gus tinha conseguido tornar Thom um verdadeiro obcecado do assunto, não falavam de outra coisa.
Fitei novamente o tecto branco. Com um suspiro de tédio me levantei, resmungando.

- Ai Ali, esse tédio vai me matar ! - Bufei. Nesse momento meu estômago reclamou comigo. Sorri. - E essa fome também.

Ali riu e sugeriu que fizessemos um pequeno assalto à enorme dispensa da mansão.
Assenti com a cabeça, me levantando de um salto.

- Excelente ideia, Ali! - Congratulei batendo palminhas.

Ajeitei minha blusa Dolce & Gabbanna vermelha e segui ao lado de Ali pelo corredor que levava à dispensa.
Esta ficava no rés-do-chão, bem ao lado da cozinha.
Sorrateiramente abri a porta que dava para divisão e entrei.
O local estava repleto de prateleiras e mais prateleiras.
Bem à entrada a "secção" dos enlatados destacava-se com inúmeras latas acumuladas umas em cima das outras, formando pilhas perfeitas ao longo da parede.
Ao seu lado pacotes de arroz, massa, sal e feijão chamavam a atenção pelas cores diversas e os feitios das massas.
E bem ao fundo, junto à geladeira estava a prateleira destinada aos doces.
Inúmeros chocolates das mais diversas quantidades apresentavam-se embrulhados em papeis brilhantes das mais variadas cores.
Senti que meus olhos brilhavam de fascínio e meu estômago se revirou com a fome.
Atirei-me então aos chocolates, colocando-os em meus braços.
Perto de mim, Ali fazia o mesmo, apanhando o máximo de caixas de sorvetes que podia.
No final, pegámos um pouco de café e saímos tão sorrateiramente quanto entramos.
Nos dirigiámos à Sala Comum, felizes com o nosso saque nos braços.
Entramos sem perceber a presença dos dois garotos até Gus falar.
Lhe lancei o meu melhor olhar ' Você-não-deveria-estar-aqui!' e sentia que Ali devia estar fazendo o mesmo.

- E o que julga que nos fará partilhar os nossos doces com você? - Ergui uma sobrancelha sarcástica, esperando pela justificação que de certo não me iria convencer.

Troquei um olhar cumplice com Ali.
Nosso doces permaneceriam com a gente. A bem ou a mal.
Sorri com a perspectiva e voltei a encarar os garotos, esperando a resposta de Gus e o momento ideal para pôr meu plano em prática.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thomas Bernard Hoew
Lufa-Lufa - 5º Ano
Lufa-Lufa - 5º Ano
avatar

Número de Mensagens : 8
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 3
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3390
Data de inscrição : 11/08/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Qui Ago 13, 2009 11:23 pm

Spoiler:
 


Quidditch... Candies... Fight?


Dez dias havia sido mais que suficiente pra me acostumar com o que tinha acontecido em Hogwarts. Como um bom nova-iorquino, já estava acostumado com tecnologia e sabia muito bem do que os trouxas eram capazes. Aviões, que nem eram novidade, ainda me deixavam abismado. Se alguém precisava de mais alguma prova além desses enormes veículos voadores para a inteligência dos sem magia, era cego como uma porta sem olho-mágico.

Deitado em meu quarto, uma mistura de posters de quadribol com estantes abarrotados de livros – a encarnação da palavra contraste – resolvi matar o tempo lendo. Havia aquele livro interminado, que era meio chato, para terminar de ser lido. Nunca se deixa um livro pela metade, por isso pense bem antes de comprar um, certo?

Lá estava eu, lendo um romance piegas que Alice me obrigara a ler. Não é possível que ela tivesse mesmo gostado daquilo, provavelmente estava aprontando comigo quando jurou que se tratava de uma obra de arte do romance contemporâneo. E pensando bem, mesmo se fosse, o que isso queria dizer? Droga!

Ao ler a última palavra e suspirar de alívio, olhei para o relógio. Aqueles dois últimos capítulos, com o quê? Umas quinze páginas, cada um, haviam me consumido uma hora inteira. Se eu não tivesse absolutamente nada pra fazer naquela tarde, com certeza teria perdido uns bons minutos pensando em algo para me vingar da minha irmãzinha mais velha.

Ao sair do quarto – após me espreguiçar – dei de cara com meu primo Gustave. Assim que me viu perguntou o que eu faria daquela tarde. Era uma pergunta meio boba, a não ser que tivesse algo para se fazer naquela casa que eu não tinha pensado. O salão de jogos? Parecia legal, mas não era meu lugar preferido da casa.

Não respondi, só revirei os olhos. Acho que ele percebeu o recado em meu olhar e me chamou pra caminhar com ele. Estávamos descendo as escadas, após uma conversa comum sobre como havíamos passado os últimos dias, e o que tínhamos feito durante o ataque. Eu não tinha muito que contar, ficara o tempo todo lendo em meu dormitório “O Guia do Bom Jogador de Sam Chiron”, um dos maiores jogadores de quadribol da liga americana. E foi assim que surgiu o melhor assunto do mundo.

- Cara, e o último jogo dos Cannons? Não foi nada bom! Como colocaram aquela Annabeth jogando como artilheira? Ela não pega uma goles no ar nem em câmera lenta!

A essa altura já tínhamos chegado à sala comum. Gustave estava jogado no sofá e eu sentado, de pernas cruzadas a moda americana. Minha boca se escancarou quando ele tentou defender a mais nova – e eu esperava que isso não durasse muito – artilheira dos Chudley Cannons. Era inacreditável! Ela só era gostosa, será que isso era o importante pra ele?

- A Annabeth não é uma boa artilheira, não é possível que você ache mesmo isso! Ela talvez dê para uma boa goleira, e só isso. – Levantei uma sobrancelha e sorri de canto – Não, daria uma ótima supermodelo também, ou uma dessas performers sensuais...

Fiquei em silêncio, imagens desenhando-se – cheias de curvas – em minha cabeça. Cara, aquilo seria legal... O que Gustave estava falando agora? Por que ele não calava a boca? Estava estragando meu momento de arrebatação. As portas se abriram e eu desisti de uma vez por todas das minhas fantasias: As garotas chegaram! Mais gente pra defender Annabeth, só que agora por puro feminismo.

Só quando Gustave comentou algo sobre ataque a dispensa que prestei mesmo a atenção no que elas carregavam. Doces gelados e café. Tragam um dentista, porque meus dentes seriam, em pouco tempo, vítimas de choque térmico. Alex imediatamente rebateu a piada de Gustave, para o Gustave, eu não estava incluso.

- Com ele eu não sei, mas Alice não vai me negar um café pelo menos, certo ruiva?

Eu tinha uma irmã no time adversário - o das meninas - , isso se eu estivesse no time oposto - o dos meninos - . Eu não sabia, mas se Alice me negasse uns doces depois de ter lido aquele livro-abelha – sério, ele produzia tanto mel quanto uma colméia, chegava a escorrer pelas bordas - ela iria pagar por aquilo assim que eu tivesse uma oportunidade. Levantei e fui, sorridente, em direção a minha irmã. Na direção dos doces nos braços dela, sendo sincero.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lily Georginne Hoew
Lufa-Lufa - 6º Ano
Lufa-Lufa - 6º Ano
avatar

Número de Mensagens : 16
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 1
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3389
Data de inscrição : 11/08/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Sex Ago 14, 2009 10:00 pm


Dez de Novembro de Dois Mil e Vinte e Nove
Sábado, Tarde, Residência dos Hoew.

Anterior: Esse é o primeiro ;]
Próximo: Não faço ideia, mas creio que vai ser aqui

Lily ; Narração ;


~ Quidditich + Candies = Fights




Mais um dos longos dias que eu passava trancada no meu quarto, jogando bolotas de papel rabiscado, que agora já enchiam o ambiente. Eu estava sem o que fazer. Muitas vezes eu ficava pensando em Hogwarts, no meu quarto, dos meus amigos, e isso - estranhamente - me deixava emocionada.

Eu tinha acabado de acordar, e já era bem tarde, para falar a verdade, três horas da tarde. Não era uma surpresa que eu só acordasse agora, desde que aconteceu aquilo em Hogs, eu nunca mais acordei de manhã.

Hoje eu estava disposta a fazer alguma coisa, nem que tivesse de ser humilde - oo/, acho que nunca fui - e desrepeitar as regras, ou quem sabe, eu pudesse me divertir com as minha primas. Pensei bem, e depois de minutos resolvi me divertir com as primas, afinal, se eu quebrasse regras, o "Escritório" me aguardaria, e eu não ia querer descobrir qual aparencia tem aquele lugar, ou pelo menos, me lembrar.

Depois de me espreguiçar bem e troçar de roupas, colocando uma casaco preto de manga curta, da Zoomp - e eu cismei em usa-lá mesmo todos insistindos que não devia fazer isso -, uma capri jeans escura e uma bota - mesmo o look ser extravagante, para me mostrar, o que eu não faço? É a verdade, mesmo eu odiando adimitir isso -, eu voltei a me sentar na cama, esperando conseguir ouvir o que diziam lá embaixo. É, tentei, mas não consegui, então resolvi fazer o que não fazia a dez dias, sai do meu quarto.

Eu desci para a Sala Comum, e encontrei todos lá.

- Olá. - comprimentei-os rápidamente, interrompedo a discução que acontecia. - Alex, Alice, Gus, Thom. - assenti quando me cumprimentaram. - Como vão? - perguntei, tentando parecer entusiasmada por estar com minha família. Verdadeiramente, eu estava entusiasmada, mas não por isso, obviamente. Eu estava feliz porque eu finalmente poderia fazer realmente algo. - E aí, o que querem fazer? - continuei, pensando no que poderiamos - sim, infelizmente, isso incluia outros.

Eu andei para perto da Alex, e roubei um chocolate dela. Logo me larguei no sofá e começei a comer o chocolate, e antes que Alex pudesse reclamar, eu já tinha comido-o inteiro e esperava que me respondessem.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alex Hoew
Grifinória - 6º Ano
Grifinória - 6º Ano
avatar

Número de Mensagens : 37
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 4
Força : 1
Reflexo : 3
Mira : 3
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3497
Data de inscrição : 01/06/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Sab Ago 15, 2009 5:28 pm

Dez de Novembro de Dois Mil e Vinte e Nove
Sábado, Tarde, Residência dos Hoew.

Anterior: Estação de King's Cross; Chegada do Expresso de Hogwarts.
Próximo: Não faço ideia. $:

Alex ; Narração ; Pensamentos ;


sweetrevenge



Bem, uma coisa era certa: se Gustave e Tom achavam que iam surrupiar meus doces e os de Ali, dude, eles não sabiam como estavam enganados. Acho que eles não aprenderam que nunca se mexe com uma mulher e com os doces dela (principalmente quando ela está naquela época em que consumo de doces é, tipo assim, essencial).
Troquei um olhar maroto com Ali e sorri meigamente para meus dois primos. Os chocolates, doces e sabe-se-lá-mais-o-que pesavam em meus braços e eu podia totalmente dividi-lo com os dois meninos.
Mas, definitivamente, eu não estava no humor para isso. Eu queria comer quadradinho por quadradinho, balinha por balinha, e não dividir com ninguém. Meu espírito Hitler estava ligado naquele dia (claro, porque comer todos aqueles doces f-a-b-u-l-o-s-o-s na frente de alguém e não oferecer um pedaço é tortura, oi. Não que Hitler torturasse as pessoas. Ele só as mandava para uma câmara de gás ou pelotão de fuzilamento. Voltaaaando). Então, caro leitor, quando Lily Georginne Hoew afanou, na cara dura, um dos meus chocolates preferidos – adeus, Hershey’s com pedaços de cookies! – meu sangue meio que ferveu.

- Olá Lilly. – Controlei minha respiração observando a expressão da loira.

Que diabos se passa com você mulher de Deus?

Tá, eu sei, Lily é minha prima e eu a amo, mas tinha alguma coisa de muito errada com ela desde que voltamos de Hoggy. Ela não era tão fechada e anti-social assim; ela era uma das mais falantes e animadas, e não gostava de passar muito tempo sozinha. Além disso, eu estava na TPM. Estreitei meus olhos e fitei a loira com interesse, tentando descobrir o que diabos tinha acontecido para ela ficar assim, e, finalmente, suspirei.
Depositei a quantidade exageradamente grande de doces na mesa mais próxima e mandei um olhar diabólico para Gustave, sorrindo muito marotamente. Pelo canto do olho, vi que Alice compreendera o que eu pretendia e também sorriu.

- Ah, é? Vocês querem doces, meninos? – perguntei na minha voz mais inocente, caminhando calmamente na direção dos dois.

Atravessei a sala e quando estava próxima o suficiente de Gustave para que nós beijássemos – e eu resisti a esse impulso –, eu esfreguei um dos sanduíches de sorvete no nariz perfeito dele, gargalhando ao estilo de madrasta da Branca de Neve. Ali fez o mesmo com Tom, e eu berrei, a plenos pulmões:

- GUERRA DE COMIDA!

Saaaaaaaaaaaalvem-se quem puder!


Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alice M. Hoew
Grifinória - 6º Ano
Grifinória - 6º Ano
avatar

Número de Mensagens : 71
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 2
Reflexo : 3
Mira : 3
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
80 / 10080 / 100

Pontos : 3525
Data de inscrição : 04/06/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Sab Ago 15, 2009 9:16 pm

10/11/29 # tarde # Mansão Hoew-Londres
post anterior: Estação de King's Cross; Chegada do Expresso de Hogwarts.
próximo post: não sei ;~


Narração # Alice

E no final das contas, Cambridge não foi nosso destino, era para ser, mas, sabe como é, não gostamos de ficar muito longe de agito, não que lá não tenha, mas ah, isso tudo era motivo para não sair da capital, e como a capital não poderia ser Nova York, lá estávamos nós na casa do Gus, em Londres...Ok, eu preferia Nova York, mesmo adorando passar as férias aqui, mas poxa, aqui não tem a quinta avenida.

Mas, eu nunca poderei dizer que nunca ouvi a frase: “a vida não é justa”. Na verdade, eu nem sei do que eu estou reclamando, eu tenho bons pais, que são um pouco puxa-sacos do meu irmão, mas são meus pais oras, eu tenho bons irmãos, mesmo que eu brigue com eles as vezes, mas isso realmente faz parte da vida fraternal, right? Eu tenho ótimos primos, com ênfase no “ótimo” por favor, não, eu não quero dizer nada com isso e tenho uma tarde entediante pela frente, minha vida é um mar de rosas, não?

Não, e nem eu queria que fosse, nunca fui muito fã da cor rosa. Ah, a quem eu quero enganar? Tédio me leva a irritação, o que me deixa com um humor não muito agradável. Eu nem estava parecendo a velha Alice deitada ali na cama do quarto de Alex, eu parecia apenas mais alguém de mal humor naquela casa. Mas, quando eu ouvi a Alex reclamando também de tédio, e fome é claro, eu pude ver uma luz no fim do túnel, é claro, como eu não tinha pensado nisso antes?

-Hm, um sorvete agora cairia tão bem...Que tal um pequeno assalto a dispensa? – E como alguém disse sabiamente uma vez, o que os olhos não vêem, o coração não sente, tinha certeza que os meus tios nem notariam que uma coisa ou outra teria “sumido” da dispensa. Tanta certeza que minutos depois, eu e Alex nos encaminhávamos a sala com doces e mais doces em mãos, sem notar é claro, que outras duas pessoas se encontravam ali.

Olha, eu sempre fui uma boa prima, acho que ninguém poderia ter algo a reclamar sobre mim, mas, eram os meus doces, e eles poderiam ter o grau de parentesco que fosse comigo, eu não dividiria nada com eles, eles teriam que fazer por merecer se quisessem algo.

-Quanto aos doces, eu não sei, se entenda com a Alex, agora quanto ao sorvete, digamos que você não verá nem a cor dele. -Eu disse logo após Alex falar, oras, eles realmente pensavam que uma operação de ataque a dispensa era tão simples assim? Eu já estava pensando em me dirigir para outro lugar, isso não era egoísmo da minha parte, era só que...bem, eu precisava de açúcar no meu sangue, mas a voz de Tom me fez parar antes mesmo de sair do lugar e olhar para ele.

-Ruiva é a ...- Eu poderia muito bem ter soltado uns palavrões lindos ali, mas, ele estava falando a verdade, o problema era somente que, era tão estranho ser chamada de ruiva. -...bom, sou eu maninho. Mas é claro que eu não irei lhe negar o café. – E abri um sorriso com isso, ok, era meio impossível essa idéia de ser egoísta, mas, eu nem sou tão fã de café assim, custava dividir somente o café?

E logo ele venho na minha direção, ou melhor, na dos doces, há, eu sabia, não era somente o café, e antes que eu pudesse me virar, lá estava Lily entrando na sala, ela estava tão estranha ultimamente, eu não sei onde tinha parado toda a alegria dela, err, ok, eu admito, eu também andava meio estranha devido a falta de diversão, mas ela era sempre a mais alegre em relação a tudo e todos e...hey, o que é aquilo?

Desviei minha atenção dos meus pensamentos e de Lily e vi uma Alex super sorridente iniciando uma guerra de comida, que muito provavelmente nos renderia um bom castigo depois, mas ah, e daí, o que seria da vida se não fosse por isso? Minha única tristeza era desperdiçar meu sorvete, meu pobre sorvete, jogando em cima dos outros, antes dividir, mas não dava para voltar atrás agora.

-Aqui seu café, pequeno Tom. -Eu disse enquanto despejava o café na cabeça dele, eu sei que ele ficaria irritado, primeiro porque ele não era tão pequeno assim, mas era irmão mais novo, então sempre seria, segundo porque, bom, era o café dele, pelo menos eu acho que ele entenderia que também doía em mim isso, eu veria o meu sorvete nos outros, mas um pouquinho de diversão não mataria ninguém.



Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thomas Bernard Hoew
Lufa-Lufa - 5º Ano
Lufa-Lufa - 5º Ano
avatar

Número de Mensagens : 8
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 3
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3390
Data de inscrição : 11/08/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Dom Ago 16, 2009 9:03 pm

Spoiler:
 


Yeah... Fight!


Senti Alice se segurar para não me dar uma boa resposta após chamá-la de ruiva. Hehe, acho que o garotão aqui tinha descoberto uma forma de implicar com a irmã mais velha, e acredite, ele usará disso no momento oportuno. Cheguei perto de Alice ao mesmo tempo em que ela dissimulava, dizendo que não me negaria um café. Soava falso, mas e daí? Pelo menos eu ia poder tomar café.

Lily adentrou a sala comum antes que minha irmã pudesse me responder. Parei no mesmo instante para sorrir para ela. Fora Lily que me recebeu na Lufa-Lufa e que me ajudou a me enturmar com o pessoal. Era muito fácil sentir simpatia por ela, porque ela era uma espécie de sol humano, apesar de andar meio esquisita ultimamente. Não fosse pelo fato de ter roubado um chocolate de Alex, eu me veria obrigado a perguntar para ela se estava tudo bem.

Foi então que ouvi um grito estridente surgir por de trás de minhas costas, anunciando uma guerra de comida. Cara, qual era o problema da Alex? Aquela menina era louca, é serio! Precisa ser detida! Virei e pude enxergar uma Alex insandecidamente risonha, e um Gustave com a cara abarrotada por algum doce, que não tive tempo de identificar, já que as palavras debochadas de Alice– junto ao líquido quente que começou a escorrer por minha cabeça – chamaram minha atenção.


- AAAAHHHHH!!!!! Você tá louca? Sua idiota! Essa droga tá quente!

Comecei a sacudir meu cabelo, espalhando gotas de café quente por todos os lados, enquanto saltitava para avaliar aquele calor dos infernos. Esfreguei meus sapatos no carpete para não sujar a casa toda, numa tentativa idiota de tentar impedir que algo com certeza aconteceria: Punições. Apertei o passo enquanto me retirava da sala correndo para o banheiro mais próximo, sentindo meu sapato grudar e melar o piso por onde eu passava.

E principalmente, não queria estar lá quando um adulto responsável chegasse. Quando perguntassem por mim, eles diriam que eu saí, e quando me encontrassem, eu estaria mergulhado em uma banheira tentando aliviar as queimaduras de segundo grau feitas por minha irmã mais velha. Esquisito, não? Se fosse a mais nova, seria até compreensível... Acho que o castigo de Alice bastaria como vingança pra mim.


Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lily Georginne Hoew
Lufa-Lufa - 6º Ano
Lufa-Lufa - 6º Ano
avatar

Número de Mensagens : 16
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 1
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 4
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
0 / 1000 / 100

Pontos : 3389
Data de inscrição : 11/08/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Dom Ago 16, 2009 9:24 pm



Dez de Novembro de Dois Mil e Vinte e Nove
Sábado, Tarde, Residência dos Hoew.

Anterior: Residência dos Hoew
Próximo: Não faço ideia, mas creio que vai ser aqui

Lily ; Narração ;



~ War of Food










Eu estava ali, deitada tranquila, sorridente, junto com o papel de chocolate que eu havia "roubado" da Alex, quando ela gritou : "GUERRA DE COMIDA!" e começou a jogar chocolates em todos. Eu só tive tempo de dar um gritinho histérico e rir antes que um daqueles me antigissem, eu jugava, sem querer.

- GUERRA DE COMIDA! - gritei, depois de estar com a face suja de chocolate. Levantei-me e peguei alguns sorvetes, tacando-os no Gus e no Thom, um dia eles me desculpam, pensei no momento.

Quando Alice me atingiu com um sanduíche de sorvete, ..., ah eu não deixei barato, fui logo atirando mil chocolates nela, que acabava de jogar café no Thom.

Mesmo eu sabendo que papai, mamãe e tio Rob - irritando a família - iam me matar quando soubessem que eu apoeie aquilo dentro de minha própria casa, eu continuei jogando mil delícias nos meus primos e no meu irmão, e quando algumas dessas me atingiam, eu tirava com o dedo e comia - nojento, sei, mas legal e bom.

Tinha horas, que, eu ficava com medo de ter de descobrir ou lembrar como era o "Escritório", e ia na dispensa, pegando pipocas doces, balas e muitos outras perfeições da natureza para jogar nos que ainda estavam na luta, mas depois eu ficava relax.

Agora eu tinha certeza que podiam perceber que a velha Lily havia voltado mais animada do que nunca, acho que até eu podia perceber isso, e isso acabava por me animar mais ainda, e naquela tarde, a maior parte do tempo, eu ri e sorri.


Eu não podia ter tido uma tarde melhor, e quando a munição acabou totalmente, eu fui me lavar. Tomei um banho relaxante e perfeito. Quando voltei para a sala, onde a guerra continuava - eu tinha sido a segunda a desistir -, percebi que, com o tanto que todos estavam sujos, a dispensa estaria vazia.

- Oh, meu Deus! - eu disse - Meu Deus! - todos me olharam com uma cara de "Que?" - Gus, papai e mamãe mataram-nos! - finalmente, eu estava "pondo" um pouco de responsabilidade na minha cabeça.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Gustave H. Hoew
Grifinória - 7º Ano
Grifinória - 7º Ano
avatar

Número de Mensagens : 809
-- x -- x -- : -- x -- x --
Agilidade : 3
Força : 4
Reflexo : 3
Mira : 2
Inteligência : 3
Punições - Flooders & Warning :
EXP do Personagem :
20 / 10020 / 100

Pontos : 4272
Data de inscrição : 03/06/2009

MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   Seg Ago 17, 2009 4:08 pm

Spoiler:
 


Style Hoew to spend the afternoon. Part 2


Narração; Gustave.
    Quando senti Alex se aproximar de mim daquela maneira, quase esqueci os chocolates, sorvetes e doces que estavam em suas mãos. Ela se aproximou ao ponto de apenas alguns centímetros separarem nossos lábios e quando eu estava pronto a acabar com essa distancia ínfima: ela praticamente enfiou um dos doces no meu nariz. E logo após gritou “GUERRA DE COMIDA!” Nossa, quanto tempo eu não tinha ouvido aquelas palavras em alto e bom tom.

    Peguei um pode se sorvete e derramei na cabeça dela, enquanto a segurava pelo braço. Vi Thom reclamando sobre a temperatura do amado café que Alice derramara sobre ele, ele ia saindo, mas eu joguei uma bola de sorvete na direção dele – do tipo bola de neve, só que sabor morango. Não deu tempo de saber se acertei ou não, vi Alice e Alex vindo em minha direção com cara de serial killer de doces, eu dei alguns passou para trás e quase caí em cima de Lily.- Não fuja, Thom-thom. – disse enquanto passava a mão suja de sorvete em Liky.

    Ela me empurrou para que eu não caísse sobre ela, eu andei na direção de Alex e Alice e as derrubei no sofá enquanto elas enchiam minha cara de chocolate, sorvete e açúcar. Eu peguei um pode de calda de chocolate e derramei nos lindos cabelos ruivos de Alice, que ficaram castanhos novamente – por conta do chocolate.- Não adianta fugir, Ali, o castanho te percegue. – dei alguns passou pra trás apontando minha arma – pote de calda de chocolate – para as duas. Quando senti alguém me puxando para trás, acreditei ter sido Thom, mas não deu tempo de reconhecer, só vi um jato branco inundar meu rosto. - Sorvete de creme *-* – demorei um pouco pra me levantar, e sem abrir os olhos balancei o cabelo tentando tirar o excesso de sorvete.

    Mais parecia um cachorro saindo do banho, quando abri os olhos, ainda balançando a cabeça, vi Alice tentando se proteger no sorvete que voava de mim, com as mãos. Eu ri e balancei mais forte na direção dela. Nesse momento me desequilibrei e cai de bunda numa poça de sorvete esverdiado.


Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Residência HOEW   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Residência HOEW
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Prisma - Pós Harry Potter RPG :: London City-
Ir para: